SELECIONE UM ORIXÁ

Okô

É um orixá da agricultura, era um caçador pobre, solitário, que tinha apenas uma flauta de osso e um cão; além disso ainda tinha uma chibata de couro e um cajado de madeira. nDivindade da agricultura, ligado a colheita dos inhames novos e a fertilidade da terra.

O QUE ESSE ORIXÁ FEZ, FOI?

É confundido com Oxalá por ambos vestirem branco. É um orixá raro e com poucas qualidades conhecidas, seu nome significa: orixá da palavra. É representado por uma estátua de madeira, seus símbolos são o cajado de madeira, a flauta, uma faca com fileira de búzios. É o árbitro de conflitos especialmente entre as mulheres e também juíz das disputas entre os orixás. Na época da colheita do inhame, ninguém comia o inhame novo sem antes fazer uma festa para Okô. As sacerdotisas do templo do orixá se entregavam aos sacerdotes sexualmente, e todo homem que encontrava uma mulher podia ter relação sexual naquele dia. Na ocasião, uma bandeja de madeira contendo côco, cana de açúcar, milho, inhame, todos crus, como oferenda. Nas festas na África, cozinha-se todo tipo de vegetais produzidos pela terra e são colocados na rua para que todos se servissem à vontade. Sacrificam galinha de angola macho, tudo com mel, pois não se usa dendê para esse Orixá. Come cabritos brancos, novos de chifres virados, ou galos brancos com esporão grande, além de pombos brancos. As comidas devem ser brancas como: acaçá de Oxalá, inhame cozido em fatias com mel, canjica branca também com mel. Pessoas que carregam a influência desse orixá são pessoas que não gostam de aglomeração de pessoas ou seja gostam de ficar só, se sentem bem assim, são muito invejadas por isso tem dificuldades para ter amigos e também são pessoas nervosas e que se irritam facilmente. Era o orixá da agricultura que achou muito ouro e por isso também é o orixá da riqueza.

Desenvolvido por